Áudios

De cabeça cheia
Data: 28/05/2017
Créditos:
Título: De cabeça cheia
Autor: Oli Prestes
Voz: Oli Prestes
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

De cabeça cheia
DE CABEÇA CHEIA

Essa expressão, aqui no Brasil, significa “saturado” de determinada coisa que ouviu ou tem ouvido, além de outro significado vulgar. Mas eu quero aproveitar para falar em um aspecto positivo, qual seja, plenamente absorvido com coisas proveitosas. E, mais precisamente, de coisas elevadas, vindas do alto, onde está o criador, o qual nos inspira canções durante a noite.

Segundo a ciência, se faz necessário que ouçamos uma coisa pelo menos nove vezes a fim de que aprendamos sobre ela. Eu não sei dizer se isso é em média. Porque há coisas que podemos aprender apenas vendo ou ouvindo falar sobre ela apenas uma vez. Mas certamente que há coisas que nem com uma centena de vezes vendo ou ouvindo podemos aprender, principalmente se ela exige conhecimento científico, ou de matéria que não dominamos ou que foge a nossa formação escolar e profissional.

Hoje, com o avanço científico e com a popularização de objetos elétricos e eletrônicos, até crianças que tem acesso a esses objetos pode manuseá-los facilmente. É o caso de aparelhos celulares. As crianças que tem acesso a eles com todos os recursos usados no cotidiano, como telefone, máquina fotográfica, filmadora, gravador de áudio, editor de fotos, etc., aprendem com relativa facilidade ao verem os adultos manipularem esses recursos. E isso me causa relativa surpresa, já que eu ainda tenho limitações quanto a alguns recursos contidos em objetos mais sofisticados, como um telefone tipo “Moto XP”. É que eles têm tantos recursos e permitem fazer tantas coisas, que poucos mortais talvez possam explorá-los plenamente.

Causou-me admiração o fato de uma neta minha com menos de quatro anos de idade acessar as minhas mídias no celular com a minha senha sem que em momento algum eu tenha dito a ela qual era. Bastou eu manusear o meu celular duas vezes próximo dela para que ela repetisse o gesto. Isso é surpreendente, pelo menos para mim. Aliás, quando eu adquiri o meu primeiro celular digital e ela ainda era de colo. E certa ocasião, conversando com a mãe dela sobre algumas dificuldades sobre o seu uso, ela me disse: Pai, dê o seu telefone para a Maitê. E ao fazer isso ela foi logo em fotos e vídeos mostrando total desembaraço no uso de recursos que eu ainda estava aprendendo a utilizar. E isso é explicável. Ela deve ter visto dezenas de vezes a sua mãe fazendo isso diariamente devido ao trabalho que ela realiza. Além do que os recursos são interativos e tem uma plataforma visual de fácil compreensão, principalmente para crianças que assistem desenhos animados e mídias televisivas desde bebê.

Desse mesmo modo acontece com quem tem acesso aos conhecimentos sobre temas religiosos cristãos desde muito cedo e na tenra idade. Aprende a louvar a Deus, a citar passagens bíblicas de memória, e a falar de coisas que ouvem nas reuniões de entidade religiosas nas quais frequentam com os seus tutores. Tenho visto mídias nas quais crianças muito pequenas já mostram habilidades para cantar e até discursar como se adultos fossem. Até os idiomas falados pelos ministrantes tem sido repetido por essas crianças objeto de vídeos. Isso é admirável.

Assim, se faz necessário que enchamos nossa cabeça de coisas vindas do alto, a fim de que possamos manifestar no abrir de nossas bocas para aqueles que precisam e que não sabem.

Paulo, o apóstolo dos gentios (pagãos, como queiram), escrevendo ao seu discípulo Timóteo, diz: “Não te faças negligente para com o dom que há em ti, o qual te foi concedido mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o teu progresso a todos seja manifesto.” I Tm. 4:13 a 15.
Tiago fala de sabedoria espiritual, vinda do pai das luzes, e fala também de sabedoria terrena, carnal e diabólica. Tg 1:17 e 3:15. Do que concluo que nem toda sabedoria vem de Deus. Que é possível obter sabedoria no âmbito terreno e na esfera espiritual diabólica. Isso talvez explique a razão porque crianças gênios manifestem habilidade para cantar, tocar instrumentos e falar coisas que causam admiração, mas que não são capazes de manifestar a mesma sabedoria para coisas espirituais altruístas, como louvar a Deus, dar testemunho dele e fazer referência a textos bíblicos.

Mesmo pessoas que são mestres na esfera secular podem ter dificuldades para interpretar textos bíblicos e para retê-los de memória. Porque os seus conhecimentos são voltados para áreas específicas do conhecimento humano.

Também porque Deus, através de Salomão, diz:

“Filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento, e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do Senhor e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; é escudo para os que caminham na sinceridade, guarda as veredas do juízo e conserva o caminho dos seus santos. Então, entenderás justiça, juízo e equidade, todas as boas veredas. Porquanto a sabedoria entrará no teu coração, e o conhecimento será agradável à tua alma. O bom siso te guardará, e a inteligência te conservará; para te livrar do caminho do mal e do homem que diz coisas perversas; dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos das trevas; que se alegram de fazer o mal, folgam com as perversidades dos maus, seguem veredas tortuosas e se desviam nos seus caminhos.” Pv. 2:1 a 15.

Portanto, é preciso fazer assim, pois disse um salmista:

“Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia!” Sl. 119:97.
                                Itapema-Guarujá, 28/05/2017.
                                Oli Prestes
                                Missionário
Enviado por oliprest em 28/05/2017

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr