Textos

Renúncia total
Jesus disse que quem não renunciar até a própria vida não pode ser seu discípulo. Lc. 14:26, u.parte. Mas, como pode ser isso, se um conceito no meio evangélico diz que ele já pagou o preço, e, que, portanto, basta crer nele para ser salvo? Vejamos:

Existem conceitos antibíblicos no meio evangélico. E isso tem se arraigado nas mentes e corações de muitos, levando-os a crerem de modo errado.

A fé de muitos que dizem ter feito “aceitação de Jesus”, está resumida em acreditar nele como o salvador, que ele já pagou o preço do resgate do pecador e que este não precisa fazer mais nada. Assim, muitos seguem uma religião ou organização religiosa, e frequentam as suas reuniões a que chamam de “culto”, nas quais se fala muito de coisas que não firmam nem dão crescimento espiritual, e onde a adoração ao verdadeiro  Deus é uma utopia. Cada organização religiosa formula o seu “modus operandi” o qual a distingue das demais. Seus líderes estão extremamente ocupados com os seus projetos megalomaníacos de grandeza e poder, além do interesse em bem parecer sob os holofotes da mídia. Uma parcela considerável de pastores nem sabe o que é o evangelho, e mesmo assim se diz evangelista. À semelhança dos judeus contemporâneos de Jesus, inventam fórmulas e vendem facilidades para os seus seguidores. Uns vendem sabão, outros, vassoura, outros shampoo, e outros, tijolos, etc. Tudo isso com um só objetivo: arrecadar tudo o que for possível, ainda que os seus seguidores fiquem “depenados”. Eles não têm escrúpulos e são gananciosos, ambiciosos e cobiçosos. O muito que arrecadam é pouco aos olhos deles. Enquanto isso, os seus seguidores vivem uma vida miserável, e, mesmo assim, continuam sendo atraídos com os seus falsos discursos, aos quais chamam de “pregação”.

Eu só tenho uma explicação para o que alguns chamam de “lavagem cerebral”: “O príncipe deste mundo cegou o entendimento dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a glória de Deus”, a luz do evangelho. II Co. 4:4.

E ainda que digam de memória que Jesus é a luz, o caminho, a verdade e a vida, não conseguem traduzir nem racionalizar isso.

As mensagens de Jesus eram bem enfáticas. Entre elas, ela dizia: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”. Mc. 8:34. Mas muitos tomam um crucifixo para simbolizar a própria cruz, ou uma miniatura de cruz, como se isso fosse cumprimento do que Jesus mandou,  e seguem os seus próprios preconceitos ou os preconceitos dos seus líderes.

Jesus também disse: “Se alguém vier a mim, e não aborrecer a pai e mãe, a mulher e filhos, a irmãos e irmãs, e ainda também à própria vida, não pode ser meu discípulo.”  Lc. 14:26. Mas, inventaram um preconceito de que depois de Deus a família é a coisa mais sagrada. E assim, vivem servindo à família em lugar de servir a Ele, servindo os irmãos em cristo.

Disse mais Jesus: “Assim, pois, todo aquele dentre vós que não renunciar a tudo quanto possui, não pode ser meu discípulo”. Lc. 14:33. Mas a maioria não renuncia nem as coisas mínimas, quanto mais tudo. Desse modo, querem que Deus lhes sirva, ao invés de servirem a ele.

Bem, já que só existe dois caminhos, o estreito e o espaçoso, quem não estiver no estreito está no outro. O Espírito Santo inspirou a João que escreveu: “Nisto são manifesto os filhos de Deus e os filhos do diabo: qualquer que não pratica a justiça não é de Deus.” I Jo. 3:10. Mas inventaram que todos são de Deus. E ignoram que a justiça de Deus são os seus mandamentos. Sl. 119:172, u.parte.

O Espírito Santo inspirou ao profeta Ezequiel que escreveu que “a alma que pecar essa morrerá” Ez. 18:20, e por Moisés que “o sangue é a vida da alma”, Lv. 17:11. E por Jeremias, que  alma tem sangue, Jr. 2:34. Mas os falsos mestres dizem que a alma é o espírito ou algo imaterial que existe na pessoa, contradizendo o que Deus revelou e inspirou aos seus servos para escreverem, que a alma é o corpo com vida. Sugiro a leitura do meu texto “A fragilidade da Alma”.

Também Jesus mandou que fôssemos perfeitos como é perfeito o pai celeste. Mt. 5:48. Mas os falsos mestres dizem que ninguém pode ser perfeito, fazendo a Deus mentiroso.

Por conseguinte o Espírito Santo diz que “quem pratica a justiça é justo como Ele é justo". I Jo. 3:7, p.parte. Mas os falsos mestres dizem que não existe ninguém justo.

E assim vão enganando os seus liderados, por que foram também enganados por seus corações desviados da verdade. E são as tais igrejas das quais diz o espírito por Paulo que “são mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; que aprendem sempre, mas nunca chegam ao conhecimento da verdade”. II Tm. 3:6 e 7.

Desse modo, com palavras fingidas engodam as almas com palavras suaves, e, como dizem alguns, "massageam-lhes o ego", e os fazem se acomodar em suas “zonas de conforto”.

“Pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, salvá-la-á, disse Jesus.” Mc. 8:35.

Oli Prestes
Missionário
oliprest
Enviado por oliprest em 17/01/2018
Alterado em 17/01/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Áudios Relacionados:
Renúncia total - oliprest


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr